RSS
Blog
Captura de tela do brasil.io mostrada em um laptop

Apoio ao acesso do público a dados do governo no Brasil

29 de junho de 2020 - por Andrew Oram

O Linux Professional Institute (LPI) patrocinou recentemente Brasil.io, um projeto de dados abertos no Brasil dedicado à transparência e compartilhamento de dados do governo. Embora o Brasil.io use voluntários, bem como software livre e de código aberto, eles têm despesas que precisam ser cobertas. O LPI incentiva outras pessoas a apoiarem esse projeto de base, com um orçamento apertado, com uma contribuição para que o projeto possa continuar crescendo.

O Brasil provavelmente possui mais dados públicos do que a maioria dos países, graças a uma lei de 2011 chamada Lei de Acesso à Informação. Esta lei exige a divulgação de uma ampla gama de dados de interesse do público, incluindo orçamentos governamentais, assistência médica, eleições e muito mais.

No entanto, a maioria dos dados é liberada em pequenos pedaços de uma forma que dificulta a combinação e a análise. Por exemplo, os analistas podem ter que "raspar" PDFs, que geralmente colocam os dados em um formato que dificulta a distinção entre campos por um programa de computador. Ou os dados podem ser arquivos CSV, que são mais acessíveis a um programa, mas não suportam nativamente perguntas simples como "Onde está a maior porcentagem de vítimas do COVID-19?" Esses conjuntos de dados são muito comuns em divulgações governamentais em todo o mundo. A pandemia do COVID-19 enfatizou a necessidade de tornar esses dados mais acessíveis e compreensíveis.

O Brasil.io converte os dados difíceis em tabelas fáceis de visualizar e usar em programas. Os usuários podem procurar tipos específicos de dados e filtrar os conjuntos de dados (em português) para campos importantes. Alguns conjuntos de dados são gratuitos para o público, enquanto outros exigem uma pequena taxa de assinatura. O site busca sugestões para conjuntos de dados importantes a serem lançados.

Sobre Andrew Oram:

Andrew Oram

Andy é escritor e editor na área de computadores. Seus projetos editoriais na O'Reilly Media variaram de um guia jurídico sobre propriedade intelectual a uma graphic novel sobre hackers adolescentes. Andy também escreve frequentemente sobre TI em saúde, questões políticas relacionadas à Internet e tendências que afetam a inovação técnica e seus efeitos na sociedade. As publicações impressas em que seu trabalho apareceu incluem The Economist, Communications of the ACM, Copyright World, Journal of Information Technology & Politics, Vanguardia Dossier e Internet Law and Business. As conferências nas quais ele apresentou palestras incluem a Convenção de Código Aberto de O'Reilly, FISL (Brasil), FOSDEM (Bruxelas), DebConf e LibrePlanet. Andy participa da organização de políticas da Association for Computing Machinery, USTPC.